Mês: outubro 2005

em mutação.

em mutação.

Mais uma festa para acompanhar. Sozinho, ninguém pra ir junto, o negócio foi me jogar. Vai que vai! Cheguei assobiando “Twisted Nerve“, de Bernard Herrmann, feliz da vida por mais uma noite sem nenhum compromisso com ninguém (que mentira…). Entrei na casa, o cheiro de carvão com gordura se espalhando. Tomei meu lugar ao lado …

+ Read More

play

play

Estranho o sentir. Estranho sentir. Sinto estranho. E estranho não por sentir, por não sentir. Estranho… é estranho.

Procura-se:

Procura-se:

Solução Soluço + Ação Choro + Compreenção Compreenda a ação Acione a emoção + Soluço = choro A minha solução.

escadaria

escadaria

quero subir, lá no alto. quero subir até onde meus pés me levarem. quero que me levem. me quero leve. para que qualquer uma me leve até onde nenhuma qualquer me levou. livre estou, mas não de mim. quero sim saber querer e acertar nas escolhas. uma, duas ou três. não quero quantidade: quero conteúdo. …

+ Read More

Lá se vai mais um dia. Bebendo, comendo. Horas no computador. Pessoas indiretamente ligadas mas que poucas vezes se viram. Amores virtuais. Não não… tudo é apenas um sonho. Um dia vou levantar, descobrir que a realidade nada tem de virtual. E pensar se é bom ser quem eu sou. Por vezes odeio e em …

+ Read More

Beijinhos, doces e suaves.Abraços. Afagos.Palavra alguma.Cabelos e lágrimas– sereno dos olhos.Falar para quêse sem sentidosão os atos do amor?

leitura labial

leitura labial

Estava eu, em meu momento de almoço, lendo charles bukowski (numa fria – L&PM, 1993). o alemão cunhou uma conceituação de amor para lá de afortunada em um de seus contos (braçadas para o meio do nada), no meio de uma conversa entre os personagens tony e meg, ele tentando convencê-la que sexo sem amor …

+ Read More